tecnologia para trabalhos remotos: a nova empresa residente no biopark

“Usar a tecnologia para auxiliar empresas e pessoas a realizarem tarefas com mais segurança e confiabilidade” – foi com esse propósito que surgiu a Guardian Tech, uma das novas startups residentes no Biopark. Os protótipos desenvolvidos pela empresa facilitam a detecção e resolução de problemas em lugares de difícil acesso, como tubulações de esgoto.

Guardian Tech no Biopark

          A startup foi criada pelo engenheiro mecânico Victor Bruno Canever, que uniu seu conhecimento e paixão pelas áreas de robótica, eletrônica e mecânica. “Meu objetivo é possibilitar trabalhos remotos onde é difícil um ser humano entrar para executar, por exemplo, em locais muito pequenos como encanamentos e tubulações”, declara.
       Atualmente a startup foca em um produto para inspeção de tubulação de esgoto. “Já temos uma grande empresa de saneamento para qual estamos desenvolvendo esse produto. Diferentemente do cano de água, quando um cano de esgoto rompe não é possível a detecção visual, pois ele não ‘aflora’. Além disso, não tem como uma pessoa fazer a inspeção dentro desse cano. O equipamento que desenvolvo é semelhante a um endoscópio, ele percorre a tubulação realizando a inspeção e verificando onde o problema está localizado”, explica Victor. 
          Além desses, outros produtos são planejados, como uma espécie de carrinho de controle remoto para limpeza de ar condicionado. Para o empreendedor, o Biopark oferece a possibilidade de contar com o know-how de uma grande empresa. “Se fosse resumir, minhas expectativas são crescer e aprender. Meu desejo não é ter uma empresa grande, mas que ela seja competitiva, através de um crescimento sólido e duradouro. O Biopark possibilita que a minha empresa conte com mentores, suporte jurídico, especialistas em marketing, negócios, ou seja, eu posso contar com a estrutura de uma empresa grande, mesmo sendo pequeno, isso faz com que eu possa tomar decisões mais assertivas”, explica Victor.

 

Scroll Up